GP Juliano Martins (G1): Play do Iguassu e Pele do Iguassu, mais uma ponta e dupla do Haras Rio Iguassu


Play do Iguassu e Pele do Iguassu  | Foto: Porfírio Menezes

Um fato inédito e sensacional. 

O Haras Rio Iguassu (criação e propriedade) fez ponta e dupla nas duas provas de G1 disputadas em Cidade Jardim.

Se para muitos a sexta-feira 13 representa uma data assustadora, para os Pelandas esse dia será inesquecível.

Ganhar uma prova de G1 não é fácil.

Duas no mesmo dia é ainda mais complicado.

Fazer primeiro e segundo nas duas, impossível.

Era, até este 13 de maio em São Paulo.

Mais cedo, Punta do Iguassu e Perola do Iguassu fizeram ponta e dupla no GP João Cecílio Ferraz (G1).

Pouco mais de 40 minutos após, Play do Iguassu e Pele do Iguassu formaram a dobradinha no GP Juliano Martins (G1).

Antonio Oldoni brilhou mais uma vez, mandando seus pupilos à pista em grande forma. Profissional dedicado e merecedor, Oldoni vem escrevendo aos poucos seu nome na história do turfe nacional, mui merecidamente.

Para Bruno Queiroz uma conquista deveras especial. Além do bicampeonato da carreira - em 2021 venceu com Keep Koller (Stud Eternamente Rio) -, Play do Iguassu é um filho de Fixador, animal que conquistou a Tríplice Coroa paulista, com Antonio Queiroz - pai e maior ídolo de Bruno - no dorso. 

Um espetáculo sem precedentes.

Como bem diz o jornalista Jair Balla: São emoções que só o turfe pode proporcionar.

Na pista, Pele do Iguassu mandou na carreira desde a partida, sempre acossado por Charles do Bonxs. Pelo interno da raia, Play do Iguassu melhorava francamente.

Pele do Iguassu desvencilhou-se de Charles do Bronxs e deu fila de que manteria-se invicto. Porém, Bruno Queiroz tinha outros planos. O bicampeão da estatística carioca arrancou Play do Iguassu para a linha três e trouxe o castanho na hora certa para dominar seu companheiro de farda nos últimos pulos, em triunfo belíssimo.

Guanguer, Charles do Bronxs e Maximal completaram o placar remunerado da tradicionalíssima disputa de graduação máxima entre os potros de 2 anos do turfe bandeirante. 

Um filho de Fixador e Acurana, por Romarin, de criação e propriedade do Haras Rio Iguassu, Play do Iguassu conquistou sua segunda vitória, a primeira nobre e logo de G1. O ganhador congelou os cronômetros em 1min28s12

por Fernando Lopes


« VOLTAR


Veja Também

Leia Mais [03/07/2022 01:16:56]
Em excelente marca, Charme Koller conquista batismo clássico
Leia Mais [03/07/2022 01:15:57]
Cavalo de ferro, Índigo Guerreiro vence a PE Cacique Negro
Leia Mais [03/07/2022 01:08:44]
SP: In-Uky e Guanguer vencem as seletivas da Taça de Prata
Leia Mais [26/06/2022 22:32:21]
Nautilus levanta a Gávea: o campeão do Grande Prêmio Brasil (G1)
Leia Mais [26/06/2022 22:32:20]
O melhor milheiro do Brasil é Bien Sureño
Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.